criminologia-cultural-site.png

SOBRE O INSTITUTO

A Criminologia Cultural é uma abordagem teórica, metodológica e intervencionista de estudo do crime e do desvio, que coloca a criminalidade e seu controle no contexto da cultura; isto é, considera o crime e as agências e instituições de controle do crime como produtos culturais - como construções criativas. Criminologistas culturais focam incansavelmente na geração contínua de significado em torno da interação: regras criadas, regras quebradas e uma interação constante de empreendedorismo moral, inovação política e transgressão.  

A Criminologia Cultural enfrenta questões como produção do crime, direito e sociedade; controle social, justiça social e solidariedade; processos de criminalização; análise dos mecanismos de gestão da conflitualidade penal e políticas públicas correlatas; representação mediada do crime; criminalização cultural; protesto e política do espaço urbano; práticas subculturais de resistência; criminologia cultural verde e denúncia da predação ambiental; o nexo entre a segurança, o policiamento e o controle social, visando a contenção do poder punitivo e a consolidação da justiça social. Com ela, é possível compreender um mundo contemporâneo no qual o crime e a imagem do crime espiralam juntos; onde as emoções do crime são construídas a partir de intensidades de experiência imediata, mas também do incessante fluxo de filmes de crime e televisão criminal; onde a insegurança e o deslocamento definem tanto a vida pessoal quanto os contornos dos problemas sociais;  onde as predações criminosas do capitalismo global e as imagens e informações que circulam na mídia digital também merecem um olhar criminológico.

De fato, a Criminologia Cultural é agora um campo de estudo bem estabelecido, ainda que heterogêneo e contencioso. O trabalho de criminologistas culturais apoia vários periódicos internacionais, organizações regionais e conferências globais. É dentro deste contexto que Salah H. Khaled Jr, Álvaro Oxley da Rocha, Jeff Ferrell e Keith Hayward conceberam o Instituto Brasileiro de Criminologia Cultural. Fundado em abril de 2019, o Instituto tem as seguintes finalidades: 

I. Difundir a Criminologia Cultural, seus autores e principais obras no Brasil, bem como desenvolver a Criminologia Cultural brasileira;


II. Fomentar o desenvolvimento do ensino, de pesquisas e de estudos relacionados à Criminologia Cultural e demais áreas do conhecimento com as quais ela possa dialogar, através da promoção de cursos, debates, seminários, encontros, ou conferências que tenham como eixo central as perspectivas da Criminologia Cultural;


III. Manter grupos de estudos e debates comprometidos com análises sobre a questão criminal brasileira sob a perspectiva da Criminologia Cultural e das demais áreas que com ela possam dialogar;


IV. Qualificar o debate público sobre o crime e o controle do crime com base nos insights da Criminologia Cultural, o que compreende a circulação de ideias no âmbito do Legislativo, da grande mídia e das diferentes agências que integram o sistema penal;


V. Contribuir, com base nas perspectivas e métodos da Criminologia Cultural, para a produção e a difusão de conhecimento teórico e empírico sobre a questão criminal, de modo comprometido com a progressiva realização de justiça social;


VI. Promover o debate científico resultante das pesquisas e atividades desenvolvidas no âmbito do Instituto por meio da publicação de livros, de boletins e de revistas que abordem temas de interesse da Criminologia Cultural e demais áreas que com ela possam dialogar;


VII. Estabelecer contatos e parcerias com outras Instituições afins, que tenham por objetivo o ensino, o estudo e/ou a pesquisa das matérias atinentes à Criminologia Cultural e às ciências criminais.

DIRETORIA EXECUTIVA

Dr. Salah H. Khaled Jr - Presidente
Dr. Álvaro Oxley da Rocha - Vice-Presidente
Me. Guilherme Baziewicz de Carvalho e Silva - Secretário
Me. Tiago Lorenzini Cunha - Tesoureiro

CONSELHO CONSULTIVO

Dr. Jeff Ferrell - Conselheiro vitalício
Dr. Keith Hayward - Conselheiro vitalício
Dr. Salah H. Khaled Jr - Conselheiro vitalício
Dr. Wayne Morrison - Conselheiro vitalício
Dr. Travis Linnemann - Conselheiro vitalício
Dra. Michelle Brown - Conselheira vitalícia
Dr. Álvaro Oxley da Rocha -  Conselheiro vitalício e Presidente do Conselho Consultivo

COORDENADORIAS INTERNACIONAIS

DR. JEFF FERRELL

Texas Christian University

DR. KEITH HAYWARD

University of Copenhagen

DR. WAYNE MORRISON

Queen Mary University of London

DRA. MICHELLE BROWN

University of Tennessee

DR. TRAVIS LINNEMANN

Eastern Kentucky University

DRA. RITA FARIA

Universidade do Porto

DR. MOHAMED ARAFA

Indiana University
Alexandria University

DR. JONATHAN ILAN

City University of London

COORDENADORIAS REGIONAIS

DR. ALEXANDRE MORAIS DA ROSA

Florianópolis/SC

DRA. VANESSA CHIARI

Porto Alegre/RS

DR. ADILSON J. MOREIRA

São Paulo/SP

DR. RUBENS CASARA

Rio de Janeiro/RJ

DR. FLAVIO ANTÔNIO DA CRUZ

Curitiba/PR

ME. RONALDO BEZERRA

Rondonópolis/MT

DRA.THAYARA CASTELO BRANCO

São Luís/MA

DR. ELMIR DUCLERC

Salvador/BA

DR. MARCELO OLIVEIRA DE MOURA

Pelotas/RS

DR. EDUARDO PITREZ CORRÊA

Rio Grande/RS

DR. MAIQUEL WERMUTH

Ijuí/RS

DR. GABRIEL DIVAN

Passo Fundo/RS

ME. GIL MORATO

Belo Horizonte/BH

DR. VINÍCIUS MIGUEL

Porto Velho/RO

ME. MARCOS AKAMINE

Três Lagoas/MS

ESP. GUILHERME DE MORAES BITTAR

Goiânia/GO

DR. ANDRÉ DE ABREU COSTA

Ouro Preto/MG

DR. RICARDO GENELHÚ

Colatina/ES

ME. DANIEL KESSLER DE OLIVEIRA

Região do Vale dos Sinos/RS

ME. KLAYTON TÓPOR

Guaíba/RS

COORDENADORIA DE PESQUISA

Dr. Salah H. Khaled Jr.

COMISSÕES TEMÁTICAS

CRIMINALIZAÇÃO DA CULTURA

Salah H. Khaled Jr, Álvaro Oxley da Rocha, Gaudêncio Fidelis, Ronaldo Bezerra, Rodrigo Deamici da Silveira, Pedro Henrique Farina Soares, Henrique Lima e Michele Lucas de Castro

CRIMINOLOGIA CULTURAL NEGRA

Adilson J. Moreira, Luciano Góes, Zeni Xavier Siqueira dos Santos e Júlia Castro John

CRIMINOLOGIA CULTURAL FEMINISTA

Thayara Castelo Branco, Vanessa Chiari, Elisa Celmer, Zeni Xavier Siqueira dos Santos, Danyelle Gautério da Silva, Michele Lucas de Castro e Júlia Castro John

CRIMINOLOGIA CULTURAL, MEDIASCAPE E PÂNICO MORAL

Álvaro Oxley da Rocha, Salah H. Khaled Jr, Marcelo Semer e Tiago Lorenzini Cunha

CRIMINOLOGIA CULTURAL VERDE

Salah H. Khaled Jr., Álvaro Oxley da Rocha e Tiago Lorenzini Cunha

CRIMINOLOGIA CULTURAL E PROCESSO PENAL

Alexandre Morais da Rosa, Aury Lopes Jr., Elmir Duclerc, Gabriel Divan, Ronaldo Bezerra, Gil Morato e Salah H. Khaled Jr.

MODERNIDADE TARDIA E SOCIEDADE BULÍMICA

Salah H. Khaled Jr., Adilson J. Moreira, Guilherme Baziewicz de Carvalho e Silva e Tiago Lorenzini da Cunha.

CRIMINOLOGIA CULTURAL E SUBCULTURAS

Guilherme Baziewicz de Carvalho e Silva, Salah H. Khaled Jr, Luciano Góes, Ronaldo Bezerra e Danyelle Gautério da Silva.

VIOLÊNCIA, PRIMEIRO PLANO DO CRIME E EDGEWORK

Salah H. Khaled Jr, Álvaro Oxley da Rocha, Guilherme Baziewicz de Carvalho e Silva e Tiago Lorenzini

CRIMINOLOGIA CULTURAL E SOCIEDADE EM REDE

Eduardo Pitrez Corrêa

CRIMINOLOGIA CULTURAL E ECONOMIA POLÍTICA DA PENA

Bryan Devos, Thayara Castelo Branco, Vanessa Chiari e Salah H. Khaled Jr.

CRIMINOLOGIA CULTURAL E EPISTEMOLOGIA

Yuri Alonso Nunes e Salah H. Khaled Jr.

CRIMINOLOGIA CULTURAL DE ESTADO

Salah H. Khaled Jr, Álvaro Oxley da Rocha, Raquel Fabiana Lopes Sparemberger, Vanessa Chiari, Maiquel Wermuth e Tiago Lorenzini

CRIMINOLOGIA CULTURAL DO CONSUMO E COMODIFICAÇÃO DA TRANSGRESSÃO

Álvaro Oxley da Rocha e Tiago Lorenzini

CRIMINOLOGIA CULTURAL E ESTUDOS URBANOS

Salah H. Khaled Jr, Guilherme Michelotto Böes, Maiquel Wermuth e Álvaro Oxley da Rocha

CRIMINOLOGIA CULTURAL E GRANDES NARRATIVAS DA MODERNIDADE

Salah H. Khaled Jr. e Tiago Lorenzini Cunha

COORDENADORIA DE EVENTOS

Dra. Thayara Castelo Branco

TODOS OS EVENTOS PROGRAMADOS PARA 2020 ESTÃO SUSPENSOS POR FORÇA DA PANDEMIA E DA NECESSIDADE DE DISTANCIAMENTO SOCIAL

4ª JORNADA DE CRIMINOLOGIA CULTURAL

(suspensa indefinidamente)

PUBLICAÇÕES

Livros, artigos, revistas e sites

LIVROS E ARTIGOS

  • BAZIEWICZ DE CARVALHO E SILVA, Guilherme. O descontrole já está formado! Criminologia cultural e apropriações de estilo na Geral do Grêmio. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2018.

  • BÖES, Guilherme Michelotto. Droga e mídia: uma análise da campanha "Crack nem pensar". Porto Alegre: Editora Fi, 2016.

  • BÖES, Guilherme Michelotto. Sobre carros e bicicletas: por uma crítica a cultura automobilística a partir da Massa Crítica. In: Direito e democracia (ULBRA). v.17. p.131-146.2017.

  • FERRELL, Jeff; HAYWARD, Keith; YOUNG, Jock. Criminologia cultural: um convite. Belo Horizonte: Letramento, 2019. 

  • FERRELL, Jeff; HAYWARD, Keith; KHALED JR, Salah H. OXLEY DA ROCHA, Álvaro. Explorando a criminologia cultural. Belo Horizonte: Letramento, 2018.

  • GÓES, Luciano. CRIMINOLOGIA DE BANJO – A CRIMINOLOGIA ACHADA NO MORRO: um brado negro em tributo à Vera Andrade. In: PRANDO, Camila Cardoso de Mello; GARCIA, Mariana Dutra de Oliveira Garcia; ALVES, Marcelo Mayora. Construindo as Criminologias Críticas: a contribuição de Vera Andrade. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2018

  • HAYWARD, Keith. Focando as lentes: criminologia cultural e a imagem. In: Revista de Direito da Cidade. v.11. n.1. 2019.

  • KHALED JR, Salah H. (org.) Crime e castigo: ensaios de resistência, controle social e criminologia cultural. 2 ªedição. Belo Horizonte: Letramento, 2019.

  • KHALED JR, Salah H. Videogame e violência: cruzadas morais contra os jogos eletrônicos no Brasil e no mundo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2018.

  • MOREIRA, Adilson José. FABRETTI, Humberto Barrionuevo. Masculinidade e criminalidade em Moonlight: um estudo sobre as relações entre identidade  e delinquência. Revista de Direitos e Garantias Fundamentais. V.19,n.2, p.43-98, maio/ago 2018.

  • OXLEY DA ROCHA, Álvaro Filipe ; CUNHA, Tiago Lorenzini . Por uma reescrita do ideal moderno do medo da criminalidade nas cidades brasileiras contemporâneas. DIREITO DA CIDADE, v. 10, p. 620-661, 2018.

  • OXLEY DA ROCHA, Álvaro Filipe. Crime, violência e segurança pública como produtos culturais: inovando o debate. In: Revista dos Tribunais n. 917. São Paulo: RT, 2012. p. 271-289

  • RAMOS FURQUIM, Saulo. A criminologia cultural e a criminalização cultural periférica. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2016.

  • ROSA, Mateus Viera da. Identidade, Significado e Imagem do Desvio: uma (re)leitura do fenômeno das Torcidas Organizadas a partir da Criminologia Cultural. Florianópolis: Empório do Direito, 2015.

  • YOUNG, Jock. A sociedade excludente: exclusão social, criminalidade e diferença na modernidade recente. Rio de Janeiro: Revan, 2002.

 

 

REVISTA DO INSTITUTO BRASILEIRO DE CRIMINOLOGIA CULTURAL

Em breve

SITES RECOMENDADOS

COLEÇÃO CRIME, CULTURA, RESISTÊNCIA

Coordenada por Salah H. Khaled Jr. e Álvaro Oxley da Rocha e publicada pela editora Letramento, a coleção visa reunir grandes obras de criminologia ainda inéditas em língua portuguesa.  Explorando a criminologia cultural inaugurou a coleção, cujo segundo volume é Criminologia cultural: um convite, de Jeff Ferrell, Keith Hayward e Jock Young. O terceiro volume da coleção é a 2ª edição de Crime e castigo: ensaios de resistência, controle social e criminologia cultural, organizada por Salah H. Khaled Jr.

EXPLORANDO A CRIMINOLOGIA CULTURAL

Explorando a criminologia cultural reúne, pela primeira vez, dois dos maiores nomes da criminologia cultural, Jeff Ferrell e Keith Hayward, com dois criminologistas culturais brasileiros, Salah H. Khaled Jr. e Álvaro Oxley da Rocha.

A obra inaugura a coleção Crime, Cultura, Resistência e discute temas-chave como criminologia visual e a representação mediada do crime, criminalização cultural, protesto e política do espaço urbano, práticas subculturais, crime e música, etnografia, criminologia antipositivista, e o nexo entre a segurança, o policiamento e o controle social.

Explorando a criminologia cultural é possível compreender um mundo contemporâneo no qual o crime e a imagem do crime espiralam juntos; onde as emoções do crime são construídas a partir de intensidades de experiência imediata, mas também do incessante fluxo de filmes de crime e televisão criminal; onde a insegurança e o deslocamento definem tanto a vida pessoal quanto os contornos dos problemas sociais;  onde as predações criminosas do capitalismo global, a violência generalizada deflagrada nas populações de refugiados e migrantes, os perigos do terrorismo e os perigos das respostas a ele, as imagens e informações que circulam na mídia digital também merecem um olhar criminológico.

Venha explorar conosco: uma nova era para a criminologia cultural no Brasil começa aqui.

Jeff Ferrell, Keith Hayward, Salah H. Khaled Jr. e Álvaro Oxley da Rocha.

Explorando

CRIMINOLOGIA CULTURAL: UM CONVITE DE JEFF FERRELL, KEITH HAYWARD E JOCK YOUNG.


É com enorme satisfação que apresentamos a edição brasileira de Criminologia Cultural: um Convite, de Jeff Ferrell, Keith Hayward e Jock Young. Como já dissemos em outra oportunidade, pensamos que a Criminologia Cultural é a mais excitante e relevante matriz de perspectivas para a compreensão do crime e de seu controle no contexto contemporâneo, na quadra tardo-moderna.

Esta obra reúne os principais insights de inúmeros criminologistas culturais de forma condensada, em um texto ágil, que é instantaneamente acessível para leitores de diferentes níveis de formação. Vencedora do Prêmio de Livro mais Destacado da Divisão de Criminologia Internacional da Sociedade Americana de Criminologia, em 2009, Criminologia Cultural: um Convite é a bibliografia ideal para trabalhar Criminologia com alunos da graduação de cursos de Direito e Ciências Sociais.

Salah H. Khaled Jr. e Álvaro Oxley da Rocha.

Convite

CRIME E CASTIGO: ENSAIOS DE RESISTÊNCIA, CONTROLE SOCIAL E CRIMINOLOGIA CULTURAL

O subtítulo desta obra é “Ensaios sobre resistência, controle social e criminologia cultural”, mas poderia muito bem ser with a little help from my friends. A segunda e totalmente modificada edição de “Crime e castigo” reúne uma parcela significativa das pesquisas desenvolvidas, nos últimos anos, no Instituto Brasileiro de Criminologia Cultural e no mestrado em Direito e Justiça Social, da Universidade Federal do Rio Grande – FURG. Mais do que uma amostra considerável das investigações enfrentadas no campo da criminologia crítica e cultural, o livro é um testamento do que a colaboração entre amigos, alunos e ex-alunos e capaz de produzir.

Salah H. Khaled Jr.
Presidente do Instituto Brasileiro de Criminologia Cultural

ASSOCIADOS EMÉRITOS

Dr. Wayne Morrison
Dra. Michelle Brown
Dr. Travis Linnemann
Dra. Rita Faria
Dr. Mohamed Arafa
Dr. Jonathan Ilan
Dr. Alexandre Morais da Rosa
Dr. Aury Lopes Jr.
Dra. Vanessa Chiari
Dr. Adilson J. Moreira
Dr. Rubens Casara
Dr. Marcelo Semer
Dr. Ricardo Genelhú
Dr. Thiago Fabres de Carvalho (in memoriam)
Dr. Flavio Antônio da Cruz
Dra. Thayara Castelo Branco
Dra. Raquel Fabiana Lopes Sparemberger
Dra. Elisa Celmer
Dr. Elmir Duclerc
Dr. Marcelo Oliveira de Moura
Dr. Eduardo Pitrez Corrêa
Dr. Maiquel Wermuth
Dr. Gabriel Divan
Dr. Felipe da Veiga Dias
Me. Luciano Góes
Me. Ronaldo Bezerra
Me. Bernardo de Azevedo e Souza
Me. Felipe Lazzari da Silveira
Dr. Gaudêncio Fidelis
Me. Daniel Kessler de Oliveira
Me. Klayton Tópor
Dr. Guilherme Michelloto Böes
Dr. Thiago Minagé
Me. Jefferson Gomes
Dr. José Antônio Gérzson Linck
Dr. Francisco Monteiro Rocha Jr.
Me. João Rafael de Oliveira
Dra. Fernanda Ravazzano
Dr. Airto Chaves Jr
Me. Cristiane Pauli de Menezes

ASSOCIADOS CONTRIBUINTES

Dr. Vinícius Miguel
Me. Saulo Ramos Furquim
Me. Gil Morato
Me. Marcos Akamine
Me. Bryan Alves Devos
Me. Yuri Alonso Nunes
Me. Fernando Soubhia
Mestrando Gabriel Travassos
Mestranda Julia de Moraes Almeida
Mestrando Guilherme de Moraes Bittar
Mestranda Zeni Xavier Siqueira dos Santos
Mestrando Willian Brand
Mestrando Rodrigo Deamici da Silveira
Mestranda Danyelle Gautério da Silva
Mestranda Michele Lucas de Castro
Mestrando Pedro Henrique Farina Soares
Bacharel Mateus Viera da Rosa
Graduanda Júlia Castro John
Graduando Henrique Lima

CONTATO E ASSOCIAÇÃO

Os requisitos para associação estão dispostos no artigo 23, parágrafo único do estatuto do Instituto: 

São condições para admissão como associado do Instituto, sem prejuízo de outras fixadas em regimento interno: a) ter reconhecida idoneidade moral; b) ter trabalhos publicados na área de criminologia cultural, em livros, periódicos, ou revistas especializadas, ou ser professor ou pesquisador de criminologia cultural em Instituições reconhecidas por órgãos oficiais.

No momento o Instituto não está admitindo novos membros.


Contate o Instituto por meio do Messenger aqui: https:/www.facebook.com/criminologiacultural 


BLOG

Instituto Brasileiro de Criminologia Cultural

©2019 by Instituto Brasileiro de Criminologia Cultural. Proudly created with Wix.com